Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias O que acontece com os livros doados à Poli-USP?

O que acontece com os livros doados à Poli-USP?

Livros de assuntos não pertinentes ao acervo da Escola são doados a ONGs e projetos sociais

Cerca de 300 livros foram doados, no último mês, pela Divisão de Biblioteca da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) ao programa social “Ler é Viver”. Essa organização mantém e administra uma biblioteca gratuita na região de São Miguel Paulista, Zona Leste de São Paulo, e incentiva os moradores a praticarem a leitura por meio de empréstimos e doações de obras. A iniciativa de doações por parte da Biblioteca acontece periodicamente e beneficia instituições que trabalham com causas sociais.

“Fomos procuradas pelos responsáveis do projeto e nos dispusemos ajudar”, conta Maria Cristina Olaio Villela, chefe técnica da Divisão de Biblioteca da Poli. É a primeira vez que a Biblioteca realiza a parceria com o projeto “Ler é Viver”, mas outras doações já foram feitas a diversos projetos sociais.

Villela conta como ocorrem as doações. “Regularmente, a biblioteca recebe obras doadas por ex-alunos, professores e da comunidade em geral. Tais obras são selecionadas de acordo com os critérios estabelecidos na Política de Desenvolvimento de Acervo, e aquelas não pertinentes aos assuntos da escola são oferecidas a outras Instituições”.

Obras recebidas e não incorporadas ao acervo da biblioteca podem ser doadas a qualquer pessoa ou instituição. Já as obras do acervo da biblioteca que são despatrimoniadas só podem ser repassadas a órgãos e universidades públicas.

Além das ONGs, os próprios alunos da Poli podem se beneficiar com as obras que não são incorporadas ao acervo da biblioteca. Isso porque Villela organiza, desde 2008, e não consecutivamente, uma feira para doação e barganha de livros. Durante três dias, obras que não interessam à biblioteca ficam expostas em área de fácil acesso no prédio da Engenharia Civil. Alunos, professores, funcionários e demais visitantes oferecem seus livros usados em troca de outros oferecidos na Feira. O evento ocorre em outubro e já está programado para este ano.

Aquisição de material bibliográfico pela biblioteca da Poli

Livros novos são adquiridos por compra e doação. As compras são feitas de acordo com a demanda de cada Departamento. Já quando a Divisão de Biblioteca recebe doações, analisa o estado físico da obra, edição e se o assunto irá interessar as linhas de pesquisa e áreas da engenharia para poder fazer parte do acervo.Villela ressalta que essa é uma iniciativa importante, e que se preocupa sempre em perguntar ao doador se as obras podem ser repassadas. “Nós perguntamos se podemos doar para outras pessoas os livros que não são de interesse para a Biblioteca da Poli”, afirma.

Histórico da Biblioteca – A Biblioteca da Escola foi criada pela Lei Estadual n. 191 de 1893. Com um acervo de 489 volumes, iniciou suas atividades em 07 de janeiro de 1895 no antigo Solar do Marquês de Três Rios. A cidade de São Paulo dispunha, à época, apenas da Biblioteca da Faculdade de Direito, que reunia obras de Ciências Sociais e Jurídicas.

A criação de novos cursos levou à expansão da Escola e a sua instalação em mais de uma sede. A consequência para a Biblioteca foi a descentralização de seu acervo bibliográfico e a manutenção de coleções de obras especializadas junto às respectivas Cadeiras e, mais tarde, aos Departamentos. Cabia à Biblioteca a aquisição e tratamento técnico das obras que permaneciam junto às Cadeiras para consulta e empréstimo dos interessados. Com a mudança para a Cidade Universitária, essa dispersão acentuou-se, dando origem às novas Bibliotecas.

A Poli possui 15 departamentos, nos quais os docentes e pesquisadores se dedicam a diferentes áreas da engenharia, como química, mecânica, civil, sistemas eletrônicos, etc. Nesses departamentos são oferecidas as disciplinas das 17 especialidades de cursos de graduação da Escola.

Atualmente, a Divisão de Biblioteca da Escola desempenha suas atividades a partir dos Serviços Centralizados, uma Biblioteca Central e sete Bibliotecas Setoriais. Os Serviços Centralizados são responsáveis pelas atividades técnico-administrativas da biblioteca, e o Serviço de Aquisição é responsável pela seleção e aquisição do material bibliográfico que é encaminhado às Bibliotecas Setoriais. A Biblioteca Central atende aos alunos dos dois primeiros anos da graduação.

O acervo da Divisão de Bibliotecas é de aproximadamente seiscentos mil itens dentre livros, periódicos, teses, dissertações, materiais multimídia e outros, distribuídos em uma área de seis mil metros quadrados. A atualização do acervo é feita por meio de compra com verbas oriundas da Reitoria USP e do orçamento da Unidade, além de doações particulares ou de Projetos como FAPESP e CNPq.